Identificando problemas no Cabeçote Monza 2.0

Há alguns parâmetros em um motor que indicam problemas. Vamos citar alguns que podem indicar a necessidade de intervir no cabeçote Monza 2.0.

1) Falha no funcionamento: as válvulas do cabeçote Monza 2.0 podem não estar vedando corretamente devido principalmente a desgaste e/ou carbonização.

Mas antes de retirar o cabeçote Monza 2.0 do motor, verifique se o combustível que está sendo utilizado está bom. Combustível adulterado leva a um funcionamento irregular e pode danificar não só o cabeçote Monza 2.0 e seus componentes como também outras partes do motor.

A queima do combustível no cabeçote Monza 2.0 depende do funcionamento das velas de ignição. Velas com problema podem também levar ao funcionamento irregular e também danificarão não só o cabeçote Monza 2.0 como também outras partes do motor.

2) Fumaça excessiva: a queima de óleo é a causa de fumaça excessiva no funcionamento do motor. Quando o motor solta bastante fumaça na primeira partida do dia é um forte indício de problemas no cabeçote Monza 2.0, especialmente nos guias de válvula e retentores de haste de válvula.

Os retentores de haste de válvula no cabeçote Monza 2.0 perdem a função com o tempo deixando o óleo descer para o duto de admissão durante a noite. Na primeira partida este óleo é queimado gerando grande quantidade de fumaça.

Provavelmente, em conjunto com os retentores, há desgaste também nos guias de válvula no cabeçote Monza 2.0 o que contra-indica somente a troca de retentores. Se for feita somente a troca de retentores no cabeçote Monza 2.0, como alguns recomendam, provavelmente o problema voltará em poucos meses após o reparo pois os guias com desgaste ajudam na falha dos retentores que são especialmente projetados no cabeçote Monza 2.0 para agir na retenção de óleo em conjunto com os guias.

3)Superaquecimento: durante o projeto do cabeçote Monza 2.0 foram estabelecidos parâmentros de temperatura para o funcionamento perfeito de todos os seus componentes.

Quando ocorre uma falha no sistema de arrefecimento (radiador / bomba d'água / mangueiras) e o motor superaquece, ocorrem danos ao cabeçote Monza 2.0. Os retentores de haste de válvula e retentores de comando de válvula, que possuem borracha e plásticos em sua composição, são os primeiros afetados. É comum ocorrerem vazamentos e queima de óleo após o superaquecimento do cabeçote Monza 2.0. Pode ocorrer ainda trincas e até mesmo o empenamento do cabeçote Monza 2.0 quando a temperatura é excessiva. Após o reparo no sistema de arrefecimento é recomendado fazer a recuperação completa do cabeçote Monza 2.0 para correção dos componentes afetados pelo superaquecimento.

No caso de cabeçotes Monza 2.0 retificados deve-se tomar cuidado com sua altura após a usinagem. Cabeçotes baixos levam ao aumento de taxa de compressão e a problemas como o superaquecimento.

4)Mistura de óleo na água ou mistura de água no óleo ou queima de óleo ou perda de água ou pressurização dos sistema de arrefecimento: as galerias e canais de água e óleo do cabeçote Monza 2.0 podem ter trincas e/ou corrosão permitindo a passagem de fluidos. Durante o funcionamento, dependendo da posição, extensão e pressão do fluido em cada ponto de corrosão/trinca do cabeçote Monza 2.0, haverá a passagem de água para o óleo, de óleo para a água ou a perda de água ou óleo para a câmera de combustão. A pressão do cilindro pode ainda passar para a galeria de água pressurizando o sistema de arrefecimento. Em todos estes casos o cabeçote Monza 2.0 deverá ser reparado. Este problema no cabeçote Monza 2.0 evolui de forma rápida e causa problemas em todos os sistemas do motor.

 

Conte com nossa equipe especializada para recuperação de seu cabeçote Monza 2.0.

Cabeçote Monza